- Sputnik Brasil, 1920
Operação militar especial russa
Notícias sobre as tensões na Ucrânia. Siga informado sobre os avanços da operação militar especial russa em Donbass.

Peso do financiamento da Ucrânia pode ser transferido para a Europa

© Sputnik / Anton Denisov / Acessar o banco de imagensNotas e moedas de euro
Notas e moedas de euro - Sputnik Brasil, 1920, 06.02.2024
Nos siga no
A oposição dos republicanos da Câmara dos EUA ao projeto de lei de segurança fronteiriça e ajuda externa do Senado coloca em risco o pacote de US$ 60 bilhões (cerca de R$ 299,1 bilhões) para a Ucrânia, deixando o governo de Kiev sem dinheiro. Então, quem financiará a Ucrânia agora?
O presidente republicano da Câmara, Mike Johnson, deixou claro que, se o projeto de lei bipartidário sobre segurança fronteiriça e ajuda externa dos EUA chegar à Câmara, estará morto logo na chegada.
A legislação de "compromisso" negociada pelos principais republicanos e democratas pretendia forçar o financiamento da Ucrânia e de Israel ao Congresso dos EUA, ao mesmo tempo que apaziguava os conservadores preocupados com o agravamento da crise fronteiriça.
No entanto, parece que o truque não funcionou. Embora o Partido Republicano deva votar um projeto de lei independente de financiamento de Israel, o futuro do pacote da Ucrânia está em jogo, atrasando ainda mais o fluxo de dinheiro para Kiev e para os militares ucranianos.
De acordo com o analista financeiro e geopolítico Tom Luongo, não é de surpreender que os republicanos da Câmara considerem o projeto de lei fronteiriço do Senado tóxico.

"Isso deveria ser óbvio", disse Luongo à Sputnik. "A guerra no Oriente Médio, na Ucrânia e na China está na mesa de desenho dos globalistas da administração Biden há décadas. Para eles, isso não é negociável. A nossa tarefa para eles é assegurar o seu futuro favorito de controle tecnocrático sobre os recursos euroasiáticos e africanos. Mas para os republicanos da Câmara, eles estão vendo agora o abismo fiscal que nos aproximamos e percebem que se não pararmos com este tipo de gastos imprudentes não haverá futuros dos EUA. Eles estão representando as pessoas que colocaram Mike Johnson no poder como porta-voz. O dinheiro gasto para financiar guerras no exterior prejudica o trabalho que o Fed [Reserva Federal] está fazendo para reconstruir a América do Norte em casa."

Bandeiras da Rússia e da União Europeia (UE) - Sputnik Brasil, 1920, 05.02.2024
Panorama internacional
Ocidente elabora plano 'legalmente invulnerável' para confiscar bens russos em favor da Ucrânia
Entretanto, a Ucrânia aguarda com expectativa que as autoridades dos EUA aprovem a lei desde dezembro de 2023, procurando reabastecer os seus arsenais de armas que foram esgotados durante a contraofensiva fracassada. Embora Kiev deva receber algum dinheiro da União Europeia (UE) depois de o bloco ter conseguido aprovar um pacote de € 50 bilhões (cerca de R$ 267,8 bilhões), esse dinheiro (que virá em partes ao longo dos próximos quatro anos) é apenas uma gota no oceano, segundo o interlocutor da Sputnik.
"A Ucrânia acaba de receber uma tábua de salvação da União Europeia depois de Viktor Orbán, da Hungria, finalmente sucumbir à pior queda de braço já vista vindo deles", disse Luongo. "Mas esse dinheiro da UE mal pagará os custos administrativos do atual governo da Ucrânia, e muito menos o esforço de guerra contra a Rússia."
"Portanto, a Ucrânia precisa que os EUA contribuam com o apoio financeiro prometido, que se enquadra nos acordos de segurança que a Ucrânia está assinando, primeiro com o Reino Unido no mês passado e em breve com a Alemanha, no final deste mês. O dinheiro tem de estar iniciando agora para que quando estes acordos desencadeiem uma resposta da Organização do Tratado do Atlântico Norte [OTAN], possa ser eficaz. Ao bloquear o dinheiro, você neutraliza estes acordos", continuou o especialista.
Bandeiras da União Europeia na fachada da embaixada da Dinamarca em Moscou. - Sputnik Brasil, 1920, 01.02.2024
Panorama internacional
Líderes da UE concordam em alocar € 50 bilhões em assistência macrofinanceira à Ucrânia
A Ucrânia e o Reino Unido assinaram um acordo de segurança no dia 12 de janeiro, com a França e a Alemanha planejando seguir o exemplo. O acordo ucraniano-britânico diz que o Reino Unido "se compromete" a "fornecer à Ucrânia assistência de segurança rápida e sustentada, equipamento militar moderno em todos os domínios, conforme necessário", no caso de "futuro ataque armado russo contra a Ucrânia".

De acordo com o jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung, o acordo de segurança Ucrânia-Alemanha "deveria ser assinado dia 16 de fevereiro, durante a Conferência de Segurança de Munique". O chanceler alemão Olaf Scholz e o presidente dos EUA, Joe Biden, deverão se reunir no dia 9 de fevereiro na Casa Branca para "reafirmar o seu apoio resoluto à defesa da Ucrânia", de acordo com o comunicado de imprensa da Casa Branca. Eles "também coordenarão antes da Cúpula da OTAN em Washington". Aparentemente, eles poderão discutir o acordo de segurança entre a Ucrânia e a Alemanha durante a reunião.

"Scholz já deu a notícia de que vai assinar um acordo de segurança com a Ucrânia", disse Luongo. "Biden e sua equipe também querem isso. Estas são medidas que estão sendo tomadas para forçar o Fed a abrir novamente as torneiras monetárias, reduzindo as taxas, encerrando o aperto quantitativo, que permitirá ao Congresso a margem de manobra para financiar tanto a rolagem da dívida quanto os novos gastos de guerra em 2025-26."
"A Europa quer a guerra com a Rússia, mas não quer combatê-la. Querem que os EUA o façam. Esse é o seu caminho para a vitória a longo prazo. Estão todos mais do que dispostos a sacrificar não só a Ucrânia, mas também os EUA e todos os outros que puderem no processo", continuou o analista financeiro.
O presidente Joe Biden se encontra com o presidente ucraniano Vladimir Zelensky no Salão Oval da Casa Branca, Washington, em 21 de setembro de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 05.02.2024
Operação militar especial russa
Ucrânia não pode ser discutida 'sem abordar expansão da OTAN para o Leste', diz observadora dos EUA
No entanto, além da reação dos republicanos da Câmara, as probabilidades da campanha de Biden não parecem boas à medida que as eleições de 2024 se aproximam, o que sugere que a equipe Biden não será capaz de continuar a sua onda de gastos.
Sem o financiamento "generoso" dos EUA, os acordos de segurança do Reino Unido e da Alemanha com a Ucrânia não funcionariam, segundo o observador. Os países europeus simplesmente não conseguem suportar todo o fardo da ação militar, dado que a Alemanha está no caminho da recessão, com os preços permanecendo elevados e a desindustrialização arrastando a economia.
Por seu lado, o Reino Unido não está em melhor situação, com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) projetando que o país vai sofrer a taxa de inflação mais elevada entre as economias do G7 (grupo composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) em 2024 e 2025. Entretanto, a economia da zona euro está lutando para recuperar o caminho certo.
"A Europa ainda age como se tivesse uma vantagem estrutural sobre os EUA economicamente, o que é uma ilusão", explicou Luongo. "Eles só podem estar certos ao agir desta forma por duas razões. Ou acreditam que a 'solução está presente' nos EUA, onde os seus simpatizantes no topo do sistema político dos EUA vão prevalecer no longo prazo, gastando todo o capital dos EUA — político, econômico, cultural — irreparável."
"Ou estão simplesmente 'fingindo até que consigam' porque não têm outra estratégia senão esperar que os EUA implodam graças às forças políticas em conflito dentro da hierarquia dos EUA. A chave então é observar qual banco central corta primeiro as taxas — o Banco Central Europeu ou a Reserva Federal. O primeiro a cortar perderá a credibilidade junto ao mercado de capitais, que apoia o outro", observou.
Nestas circunstâncias, parece que a Ucrânia não tem outra escolha senão apertar o cinto e enfrentar a situação. Não tem meios suficientes para lutar e tem de reabastecer as suas tropas. A luta pelo poder em curso em Kiev indica que as elites ucranianas se encontram em apuros à medida que o dinheiro se esgota.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала