- Sputnik Brasil, 1920
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Em telefonema abrangente, Putin e Xi concordam em não aceitar pressão política e militar dos EUA

© Sputnik / Sergei GuneevO presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente chinês, Xi Jinping, posam para foto antes de seu encontro como parte do 3º Fórum do Cinturão e Rota, no Grande Salão do Povo, em Pequim, na China
O presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente chinês, Xi Jinping, posam para foto antes de seu encontro como parte do 3º Fórum do Cinturão e Rota, no Grande Salão do Povo, em Pequim, na China - Sputnik Brasil, 1920, 08.02.2024
Nos siga no
Na chamada relizada nesta quinta-feira (8), os presidentes resumiram o desenvolvimento da parceria abrangente e da interação estratégica sino-russa, reforçando a cooperação em nível multilateral internacional e a defesa da globalização econômica inclusiva.
Na conversa, Xi afirmou ao seu homólogo russo que os dois países deveriam buscar uma estreita coordenação estratégica a fim de defender a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento de seus respectivos países, informou a agência Xinhua.
Xi também disse que ambos os lados precisam se opor resolutamente à interferência de forças externas nos assuntos internos dos países, ao mesmo tempo que devem cultivar novas dinâmicas de cooperação para manter a estabilidade das cadeias industrial e de abastecimento.

"A China e a Rússia resistiram juntas a muitos testes no passado e suas relações abraçam novas oportunidades de desenvolvimento no futuro […]. A China está pronta para reforçar a cooperação com a Rússia a nível multilateral internacional e defender a globalização econômica inclusiva", afirmou o líder chinês a Putin enquanto os dois concordaram em continuar com "contatos estreitos".

Sobre a interferência em assuntos internos, o assessor do Kremlin, Yuri Ushakov, disse que os presidentes comentaram a contenção de Pequim e Moscou por parte dos Estados Unidos.
"As partes expressaram rejeição mútua ao rumo dos EUA que visa interferir nos assuntos internos de outros Estados. Nossos países também não aceitam pressão política e militar norte-americana. E o mais importante, os líderes dos dois países entendem que os Estados Unidos estão praticamente a implementar uma política de dupla contenção da Rússia e da China", afirmou Ushakov em um comunicado emitido pelo Kremlin.
Ao discutir a situação na região da Ásia-Pacífico, o presidente russo reafirmou a sua posição de princípio sobre a questão de Taiwan, que consiste em apoiar a política de Uma Só China, relatou a leitura do Kremlin, acrescentando que as questões "da Ucrânia e da Faixa de Gaza foram abordadas brevemente".
© Sputnik / Grigory SysoevO presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin chegam antes da cerimônia de assinatura de documentos relativos ao desenvolvimento da parceria abrangente e da cooperação estratégica entre a Rússia e a China no Kremlin, em 18 de outubro de 2023
O presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin chegam antes da cerimônia de assinatura de documentos relativos ao desenvolvimento da parceria abrangente e da cooperação estratégica entre a Rússia e a China no Kremlin, em 18 de outubro de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 08.02.2024
O presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin chegam antes da cerimônia de assinatura de documentos relativos ao desenvolvimento da parceria abrangente e da cooperação estratégica entre a Rússia e a China no Kremlin, em 18 de outubro de 2023
Os líderes também expressaram disposição para promover projetos energéticos conjuntos, apesar das sanções, relatou o assessor.
"Foi discutido o progresso da implementação de grandes projetos conjuntos russo-chineses no setor energético [...] [os líderes] confirmaram a disponibilidade para novos trabalhos para promovê-los, apesar das tentativas dos países ocidentais de exercer pressão impondo sanções unilaterais ilegítimas."
Putin disse a Xi que "a cooperação russo-chinesa, em todas as esferas, alcançou resultados frutíferos no ano passado", observando que o comércio bilateral excedeu o alvo de US$ 200 bilhões (R$ 995 bilhões) antes do esperado e atingiu um recorde de US$ 227,7 bilhões (R$ 1,13 trilhão).
"Naturalmente, as questões de cooperação financeira também foram abordadas. Afirmou-se que mais de 90% dos acordos entre os nossos países já são realizados em rublos e yuans. Foi enfatizado que, para um maior desenvolvimento progressivo dos laços comerciais e de investimento, é importante continuar o trabalho conjunto para construir uma infraestrutura financeira que garanta pagamentos confiáveis", afirmou o Kremlin.
© Sputnik / Sergei KarpuhinO presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin participam de uma reunião no Kremlin em Moscou, na Rússia, 23 de março e 2023
O presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin participam de uma reunião no Kremlin em Moscou, na Rússia, 23 de março e 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 08.02.2024
O presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin participam de uma reunião no Kremlin em Moscou, na Rússia, 23 de março e 2023
Por fim, Xi disse estar ciente de que a campanha eleitoral está em andamento na Rússia, e desejou uma "realização bem-sucedida das próximas eleições em março".
A ligação entre os líderes aconteceu antes do Ano Novo chinês, com Putin felicitando Xi pela chegada do novo ano.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала